Recrutamento e Seleção: Um dos pilares do RH estratégico

O departamento de Recursos Humanos é o principal responsável por trazer novos talentos para uma empresa. Um processo que se inicia com a atração de candidatos através de vagas. A partir disso suas competências e eventual adequação ao negócio serão analisadas. Tal processo nos ajuda a entender como o Recrutamento e a Seleção se constituem em pilares do RH estratégico.

Basta considerar o seguinte: toda organização depende de pessoal capacitado para que possa atingir seus objetivos. Quanto mais qualificados forem, e quanto mais alinhados aos valores da empresa, melhor. Afinal, tudo isto pode ser traduzido em comprometimento, um fator que permite concretizar os projetos do negócio.

O RH não só faz parte da elaboração destes planos, como identifica quais talentos captar para a empresa e como motivá-los. E, para que as atividades de recrutamento e seleção possam ser efetivas, é necessária a junção de diferentes técnicas. Estas se desdobram em uma variedade de metodologias e etapas. Antes de tudo, no entanto, é importante diferenciarmos os dois processos.

Recrutamento e seleção: entenda cada um destes conceitos

Para entendermos a força estratégica destas atividades em toda a sua extensão, primeiro é necessário defini-las. No recrutamento, temos a busca por candidatos que preencham uma determinada vaga. São indivíduos que apresentam habilidades, experiências e características necessárias para a empresa.

Podemos dizer então que este é o momento de captação de candidatos. A ação é realizada de modo a aumentar a probabilidade de encontrar a pessoa certa para a demanda da organização. Já a seleção é o processo que ocorre no momento seguinte ao recrutamento. Trata-se, portanto, de uma grande peneira.

Nele finalmente serão identificados aqueles candidatos que melhor se enquadram no perfil almejado para o negócio. Mas, e como o RH faz o melhor proveito desta história? Basicamente, quando os Recursos Humanos tratam destes procedimentos com um olhar estratégico, eles convertem o capital humano em diferencial competitivo.

Como estas atividades se constituem em pilares do RH estratégico?

De modo resumido, um RH estratégico atua de modo a juntar uma equipe capacitada, engajada, produtiva e alinhada com missão e valores de uma organização. É por isso que ao selecionar candidatos este setor precisará conhecer melhor as suas crenças e princípios.

Os processos de Recrutamento e Seleção atualmente tratam de avaliar também aspectos da personalidade dos profissionais. De modo que possam encontrar o melhor equilíbrio entre a capacidade técnica e os elementos pessoais. Em outras palavras, é um método para encontrar um indivíduo qualificado, mas também proativo, com bom relacionamento interpessoal, etc.

Se o foco hoje não se dá exclusivamente nas competências, a razão é mais simples do que parece. O conhecimento, afinal, pode ser aprimorado e transmitido. Características individuais, psicológicas e éticas dificilmente serão alteradas e certamente não poderão ser ensinadas ao candidato.

Identificando valores e crenças pessoais com os objetivos e valores da organização

O esforço e cuidado descritos nos tópicos anteriores são a forma dos Recursos Humanos assegurarem o alinhamento de objetivos. Neste caso, dos novos colaboradores para com a organização. A partir disso, a cultura organizacional irá alimentar o engajamento do profissional, trabalhando ao mesmo tempo a sua satisfação.

Para atingir estes fins, o RH deve criar políticas sólidas para a gestão do capital humano. Fica claro em retrospecto que as ações de Recrutamento e Seleção constituem o início de uma relação bem-sucedida. Especialmente quando reconhecemos que o talento profissional é o bem de maior valor de uma empresa. Alguma dúvida a respeito da captação e gestão deste ativo tão importante? Então aproveite para entrar em contato!